Afinal, ter barba faz bem ou mal à saúde?

PorPedro Katchborian 23 de Janeiro de 2018

Se você pensa em adotar o estilo barbudo e está na dúvida o que sobre o que o novo visual pode fazer pela a sua saúde, fique tranquilo. Ter barba faz bem. Portanto, se tudo o que você precisava era um empurrãozinho para deixar os fios do rosto livres da lâmina de barbear, agora já tem: além de estiloso, você irá ficar mais saudável.

No entanto, há algumas notícias que dizem justamente o contrário. Entenda quais são essas pesquisas e saiba o motivo pelo qual ela faz bem:

A barba faz bem para a saúde?

Como você já leu ali em cima, faz bem, sim, para a saúde. A Universidade de Southern Queensland, na Austrália, fez uma pesquisa com manequins ao sol. Metade deles ganhou uma barba, enquanto o resto ficou com o rosto pelado. Foi medida a quantidade de radiação absorvida por todos — os que ganharam uma barba do tipo James Harden tiveram 35% menos exposição aos raios UV. Legal, né? Mas isso não significa que você pode abdicar do protetor caso tenha longos fios.

Não acaba por aí: o bigode, por exemplo, pode servir como uma barreira de proteção contra as bactérias trazidas pela poeira, podendo até proteger a pessoa de sintomas de asma. Os pelos também podem diminuir o número de inflamações na garganta, já que mantém a região mais aquecida. O estudo ainda mostrou que a barba pode proteger contra o vento, ao deixar a pele mais hidratada e servindo como um modesto elixir da juventude.

Uma outra pesquisa, mostrada pela BBC, coletou material do rosto de mais de 400 funcionários de um hospital americano. Para a surpresa dos cientistas, os homens que não tinham pelo facial — e que se barbeavam regularmente, tinham mais tendência a ter bactérias perigosas no rosto. Os pesquisadores sugeriram que a microabrasão (esfoliação) causada pelo barbear tornaria o tecido mais propenso à colonização e proliferação por bactérias.

Mas eu li que as barbas eram tão sujas quanto vasos sanitários

Há alguns anos surgiu uma pesquisa que teria sido feita por um microbiologista mexicano chamado John Golobic, que mostraria que a barba teria quantos coliformes fecais quanto um vaso sanitário. Mas não é bem assim: como mostra o site e-Farsas, não houve nenhum estudo sério e aprofundado feito pelo pesquisador ou qualquer outro cientista.

O que aconteceu foi que uma equipe de reportagem de uma emissora mexicana recolheu amostras de cotonetes, que foram esfregados nos pelos da barba de alguns voluntários anônimos, para posterior análise em um laboratório. Os cotonetes foram testados pelo tal microbiologista, que concluiu que as amostras não tinham nada de anormal, a não ser por algumas que apresentaram bactérias encontradas nos intestinos. Ou seja, não há nenhum estudo que comprove que a barba faz mal à saúde.

Leia também

Mais Recentes