7 mitos e verdades sobre desodorante mais buscados no Google

PorRafael Nardini 27 de setembro de 2017

O Google, o oráculo da era digital, é uma fonte de pesquisa e tanto. Se você chegou até aqui, em parte, é por conta dele. Em Você Sempre Pronto, tentar responder às perguntas do universo masculino é nossa missão número um.

E aí que resolvemos compilar algumas das dúvidas mais comuns quando o assunto é desodorante. As perguntas vão desde as práticas – como tirar manchas de desodorante – até dúvidas mais específicas e meramente curiosas – o motivo de o desodorante ser gelado, por exemplo.

Abaixo, respondemos sete das dúvidas mais comuns no Google.

1. Como tirar manchas de desodorante (de roupa preta e roupa branca)?

Esperamos, de verdade, que você já esteja se protegendo da forma mais segura para suas roupas. Como? Com um desodorante que evita o surgimento de manchas nas roupas pretas e brancas mesmo sem álcool ou corantes.

Mas pode ser que seu passado obscuro ainda cause problemas para você. Neste caso, você pode atacar a questão com uma solução caseira bastante simples. Para retirar as manchas amareladas em roupas brancas, você pode preparar uma mistura com uma colher de bicarbonato de sódio e suco de limão. Depois de misturar bem, coloque o líquido na roupa, esfregue e deixe agir no local por aproximadamente cinco minutos. Feito o procedimento, é só lavar a roupa em água corrente e  lavar a peça normalmente na máquina ou como estiver acostumado. Se a mancha não sair, repita o processo.

2. Qual desodorante melhor para quem sua muito?

É bem verdade que muitas pessoas passam por longos tratamentos para evitar esse tipo de desconforto. Mas decidimos separar algumas dicas paralelas que pode ajudá-lo. Já ouviu falar em acessórios antissudorais? São espécies de protetores para as axilas, por exemplo. Os forros de tecido acabam grudando na sua pele, criando barreiras físicas para proteger suas roupas do suor excessivo.

Outra forma de atacar o problema é se vestir de forma mais adequada com suas limitações. Por exemplo, dando prioridade para fibras naturais em dias de verão e forte sol. As fibras naturais são capazes de deixar a pele respirar melhor. Roupas mais largas acabam auxiliando também.

As axilas são um alvo de preocupação óbvio, mas é nos pés que você concentra o maior número de glândulas sudoríparas. Da mesma forma, você precisa ter atenção ao escolher seus calçados. Sapatos de lona são inimigos da respiração natural dos seus pés. Tênis mais esportivos, com diversas cavidades para respiração dos pés são mais adequados para você. Ah, avalie também a necessidade de palmilhas especiais que absorvem o suor.

3. Qual desodorante dura mais: rolon e spray?

A resposta aqui vai sempre em cima da qualidade do produto escolhido para proteger você. Normalmente, as fórmulas de spray e roll-on são igualmente eficazes. O aerosol, por sua vez, seca mais rápido que o roll-on, sendo bastante útil para quem tem pouco tempo a perder. A refrescância é outro ponto positivo. O roll-on acaba sendo mais útil para quem tem pouco espaço na mochila ou na pasta. A proteção é a mesma.

4. Qual diferença entre desodorante e antitranspirante?

É mais simples do que parece. Como diz o próprio nome, o desodorante serve para desodorizar. Ou seja: combater o odor, acabar com o mau cheiro nas axilas.

Para fazer isso, o desodorante conta com uma fórmula química desenvolvida para inibir a proliferação das bactérias na pele, inibindo o cheiro desagradável.

Por sua vez, os antitranspirantes são focados em evitar a transpiração, mantendo o corpo seco e sem secreções. Normalmente, esse tipo de produto é composto por cloridrato de alumínio, capaz de criar estruturas que bloqueiam os dutos das glândulas sudoríparas, evitando a produção do suor.

5. Por que o desodorante é gelado?

Dentro da embalagem de seu desodorante aerosol há basicamente a mistura de dois líquidos. Um deles é a própria fórmula do desodorante, que divide espaço com um outro chamado de propelente. O segundo, presente também em cremes de barbear e até em inseticidas, tem como especialidade impulsionar seu desodorante para fora da embalagem. Boa parte desses propelentes são gases líquidos, que ficam muito comprimidos dentro da lata junto do produto final.

Quando a válvula é acionada, a pressão no frasco diminui e parte do líquido se projeta com maior violência, tornando-se gás efetivamente. Aí, enfim, vem a explicação da temperatura mais baixa, capaz de deixar até mesmo a embalagem gelada.

6. Por que desodorante pode dar alergia?

É raro acontecer, mas não impossível. Normalmente aqueles pontinhos avermelhados, pintinhas na pele e coceira são uma reação do seu corpo e da sua pele a algum componente do desodorante.

É basicamente um sinal do seu corpo de que acaba de acontecer uma reação inflamatória ao desodorante que você aplicou.

É difícil também entender qual componente poderia causar a resistência. Roll-on, aerosol ou creme, todos podem reagir mal em contato com a pele de quem tem predisposição alérgica. Uma saída mais segura é escolher produtos para quem tem sensibilidade, mas não sem antes ouvir um dermatologista.

7. Quando inventaram o desodorante?

O primeiro desodorante parecido com esses que usamos diariamente nas últimas décadas foi desenvolvido em 1888, na Filadélfia, nos Estados Unidos, com simpático nome de Mum (“Mamãe”, em inglês). O “Mum” foi criado à base de sulfato de potássio e sulfato de alumínio, elementos usados até hoje.

O primeiro antitranspirante nasceria pouco depois, em 1903, com o nome de Everdry e prometendo acabar com proliferação de bactérias e com a produção de suor. O problema maior era que o produto levava horas para secar, chegando a danificar roupas com boa regularidade.

O primeiro roll on viria apenas no meio da década de 1950. Dez anos depois, o primeiro aerosol da Right Guard, alavancando as vendas de vez e criando uma indústria bilionária.

Leia também

Mais Recentes