Como adaptar sua alimentação no inverno para não ganhar peso

PorLucas Borges 26 de junho de 2018

Para muitos o inverno é um convite para comidas quentes e gordurosas, uma maneira bastante agradável de se proteger das baixas temperaturas. E existem diferentes teorias sobre nossa suposta necessidade de comer mais no frio, como explicamos nessa matéria em nosso site. O fato é que o excesso de calorias aliado à falta de disposição para sair de casa no gelado e fazer exercícios físicos pode resultar em um ganho excessivo de peso, além de ser uma combinação perigosa para a saúde. Segundo o Hospital Albert Einstein, de São Paulo, estudos garantem que não precisamos alterar nossos hábitos alimentares durante nenhuma estação do ano específica. Portanto, organizando-se, é possível ter uma alimentação saudável e ao mesmo tempo gostosa para o inverno.

Dicas de alimentação saudável no inverno

O acompanhamento de um nutricionista é sempre aconselhável e também existem muitas orientações de alimentação saudável no inverno simples de serem seguidas, que podem fazer a diferença para o seu corpo. Não é necessário recorrer a remédios para emagrecer a fim de ter a silhueta desejada.

A sopa é um clássico da estação, mas é preciso tomar cuidado com os ingredientes utilizados e com o tamanho das porções, alerta o Albert Einstein. Creme de leite, macarrão e  queijos gordurosos devem ser evitados. Melhor dar preferência a verduras, proteínas magras e legumes, como chuchu e abobrinha. Proteínas vegetais, como feijão, grão de bico, lentilha e ervilha, também são bem-vindas, além de proteínas de origem animal.

Os chás, também muito requisitados em dias de frio, são outra boa dica de alimentação saudável no inverno: aquecem e têm efeitos positivos no organismo, graças a propriedades antioxidantes. Pode-se tomar os chás calmantes (maracujá, melissa e hortelã) e os estimulantes (chá mate, chá preto e chá verde). Em ambos os casos é prudente não abusar da dose, já que algumas substâncias podem causar efeitos colaterais.

O chocolate quente não precisa ser riscado da lista, mas convém trocar os achocolatados mais açucarados por aqueles com concentração acima de 70% de cacau e usar leite desnatado. O cacau, aliás, auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares e inflamatórias.

Até mesmo o fondue pode continuar sendo consumido como prato saudável no frio, desde que as carnes gordas sejam trocadas por opções mais magras, acompanhadas de legumes e molhos a base de queijos magros. Para os doces, o ideal é usar o chocolate com 70% cacau e frutas.

E também vale a pena aproveitar a temporada do pinhão, semente que é fonte de energia, rica em vitaminas do complexo B, zinco, cálcio, ferro e fósforo e que pode ser consumida cozida ou acompanhando peixes e outras carnes. Ainda assim, o pinhão é bastante calórico e não deve ser ingerido em excesso.

Ansiedade alimentar

Contra a ansiedade com a comida, outro vilão da alimentação saudável no inverno e nas demais estações, o Livestrong recomenda que se faça um diário com a quantidade de calorias consumidas ao longo do dia, levando-se em conta a quantidade de calorias necessárias para o nosso corpo. Comer em horários pré-definidos é outra boa recomendação para quem vive ‘beliscando’ a todo momento.

O site francês Améliore Ta Santé afirma que um dos principais sintomas da ansiedade é a fome, que por sua vez é causada por um mau equilíbrio alimentar e um regime pobre em vitaminas e nutrientes. Mais um motivo para adotarmos refeições saudáveis ao nosso dia a dia.

Leia também

Mais Recentes