Dicas para escolher o melhor protetor solar para seu tipo de pele

PorLucas Borges 13 de novembro de 2017

Embora o uso de protetor solar seja importante durante o ano todo, no verão ele se torna indispensável. Além de prevenir o câncer de pele, o produto ainda ajuda a evitar o envelhecimento precoce da pele, com o aparecimento de rugas e manchas. Mas você sabe como escolher o melhor protetor solar para a sua pele? Acertar no fator de proteção solar (FPS) e até mesmo no tipo que você compra pode fazer a diferença!

Antes de mais nada, é importante entender o que é um FPS. “Ele reflete a quantidade de vezes que você está protegido dos raios solares”, explica o dermatologista Caio Lamunier. Ou seja, com um FPS 15, a pele está quinze vezes mais protegida do Sol, em comparação a quando ela não tem proteção. Em geral, um FPS 15 filtra aproximadamente 93% dos raios ultravioletas, o FPS 30, em torno de 97% e o FPS 50, cerca de 98%. A diferença pode até parecer pequena, mas é preciso considerar que isso vale para toda a vida.

Escolhendo o melhor protetor solar

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) aconselha que, pessoas de pele clara, geralmente ruivos ou loiros e de olhos claros, e que mais se queimam do que se bronzeiam, usem um FPS de, no mínimo, 15. Segundo o órgão, os níveis de eficácia na proteção contra UVB são os seguintes: FPS 2-15: baixa, FPS 15-30: média, FPS 30-50: alta e FPS maior do que 50: altíssima.

“O FPS 30 é um coringa, ele é bom para o dia a dia e para um dia de praia sem muita exposição”, indica Lamunier. Embora essa seja a proteção mais conhecida, também é preciso ficar de olho na eficácia contra os raios ultravioletas A (UVA). De acordo a SBD, o PPD (fator de proteção contra UVA) deve ser de, no mínimo, metade do FPS.

“O segundo fator que deve ser levado em consideração é o tipo de protetor, ou seja, qual a cosmética que vai ser usada”, comenta o médico. Isso é ainda mais importante para os homens que têm barba, já que, muitas vezes, eles acabam abrindo mão do produto para não ficar com acúmulo nos pelos do rosto. “Nesses casos, o ideal é que ele prefira uma loção ou até mesmo o spray, porque será mais fácil de passar”, explica. Embora tenha uma cobertura mais fina, e por isso precise de retoques mais constantes, o spray é muito indicado ainda para homens calvos que não querem usar boné ou chapéus.

Um protetor para cada rosto

Para a região da face, o dermatologista indica os protetores mais leves, como uma loção, spray ou um gel-creme, para as peles mais oleosas, e os cremes para as mais secas. Além disso, o produto deve ser reaplicado com frequência, especialmente se você está na praia, na piscina ou suando muito. Nesses casos, o indicado é dar intervalos de duas horas entre os retoques. Antes de repassar, no entanto, é preciso lavar e secar a região – e, só depois, aplicar uma nova camada de protetor.

Homens e mulheres com peles morenas e negros também devem tomar cuidado com a exposição ao sol. Segundo Lamunier, embora esse grupo tenha uma proteção natural maior contra os raios ultravioletas, eles não podem se descuidar. “Em um dia de exposição excessiva, principalmente em horários de muito sol, é recomendado que ele um protetor. O câncer de pele é mais raro em peles negras, mas ele existe”, alerta.

Leia também

Mais Recentes