Você deveria parar de roer unhas e cuidar mais delas

PorPedro Katchborian 13 de Março de 2018

É comum em um close na arquibancada em um jogo tenso a câmera flagrar alguém roendo unhas. O ato, conhecido na medicina como onicofagia, está naturalmente atrelado ao nervosismo e a ansiedade — e quem nunca roeu uma unha que atire a primeira pedra. Pesquisas indicam que esse hábito afeta cerca de 30% população e muitas pessoas têm dificuldade em parar de roer.

Os problemas para quem rói unhas são vários. Um estudo da PubMed.com, publicado em 2016, mostrou que o hábito vai muito além de prejudicar a saúde das unhas ou dos dentes. Roer unhas pode contribuir para problemas psicossociais significativos e ter um impacto negativo na qualidade de vida.

O mais difícil para quem quer parar de roer unhas é entender a origem do hábito. Embora a ação seja sempre atrelada ao nervosismo ou ansiedade, o motivo pode ser outro: fome, relaxamento, tédio e frustração são listados como outras possíveis razões para roer unhas.

Por que você deve cuidar das unhas

O hábito de cuidar das unhas não significa pintá-las. O cuidado das unhas muitas vezes é negligenciado por homens e pode ocasionar problemas de saúde. Cortá-las e deixá-las limpas é uma questão que vai além da estética — tem a ver com higiene. Cuidar das unhas inibe a presença de bactérias causadores de doenças.

Cuidado básico com as unhas

Não hesite em procurar uma manicure caso queira ter um tratamento mais profissional, mas é possível cuidar das unhas em casa sem maiores problemas.

O mais importante é aparar as unhas, tomando cuidado para não deixá-las muito curtas. Tente deixar pelo menos uma parte da parte branca. Ah, e utilize um cortador de unha indicado para isso — e certifique de qu está limpo.

O corte na unha deve ser reto — isso é essencial caso você queira evitar dolorosas unhas encravadas. A limpeza das unhas pode ser feita com um palito — não deixa acumular sujeira, já que é a porta de entrada para bactérias.

Em relação a frequência do corte das unhas, varia de pessoa para pessoa. No entanto, lembre-se que as unhas das mãos crescem quatro vezes mais rápido do que a dos pés.

Leia também

Mais Recentes