Como escolher um smartphone adequado para você

PorAretha Yarak 8 de novembro de 2017

Está pensando em trocar de celular, mas não sabe qual a melhor opção? Diferentes sistemas operacionais, tamanhos de tela, marcas, câmeras e processadores. São tantas as opções e especificações disponíveis no mercado, que pode parecer mesmo meio desafiador decidir qual aparelho comprar. Algumas dicas, no entanto, podem te guiar pelo caminho das pedras e mostrar como escolher um celular que seja mais adequado às suas necessidades.

Antes de mais nada, é preciso que você tenha muito claro para que precisa do celular. Ele será uma ferramenta de trabalho ou apenas para trocar mensagens, visitar redes sociais e falar ao telefone? “O celular se tornou o aparelho mais importante que se tem hoje. Se você vai usá-lo no trabalho, ele precisa ser confiável, então talvez o investimento também tenha que ser um pouco maior”, explica Eduardo Pellanda, professor da PUCRS especialista em tecnologia.

Como escolher um celular

Antes de mais nada, será preciso decidir qual o sistema operacional de sua preferência. Se você já usa a plataforma Apple em computadores e outros gadgets,por exemplo, optar por um iPhone pode ser a escolha mais natural, por já ter uma familiaridade com o sistema operacional. Fora isso, o Android continua sendo um sistema mais customizável, com mais possibilidades de personalização de interface, algo que não é possível no iOS. “Tanto o IOS quanto o Android têm feito mudanças para facilitar esse trânsito entre as plataformas”, comenta Pellanda.

Se você usa muito o celular no dia a dia e abre vários aplicativos ao mesmo tempo, precisa ainda ficar de olho na memória do aparelho. Além de precisar de muito espaço de armazenamento para baixar apps e fotos sem risco de estourar o espaço disponível, você ainda vai precisar ficar de olho na memória RAM. Normalmente, essa informação não é muito divulgada, embora seja extremamente importante. “Essa memória é o que chamamos de memória temporária, que é usada enquanto um aplicativo está aberto”, comenta o professor.

Em termos práticos, isso significa que celulares com pouca RAM são mais lentos para abrir aplicativos e rodar sistemas, por exemplo. Os aparelhos mais baratos costumam ter de 1 a 2 gigas dessa memória. Já os mais caros, de 3 a 4 gigas de RAM. “Se você usa vários apps ao mesmo tempo, vai precisar de mais memória, porque faz uma diferença enorme na velocidade”, comenta Pellanda.

Acessórios e atualizações de software

Tome cuidado ainda para não cair em armadilhas e comprar uma tecnologia que está ficando ultrapassada. Os celulares Apple podem continuar baixando as atualizações de software lançadas pela empresa por cerca de quatro gerações. Isso significa que se você tem um iPhone 6 ainda consegue receber as mesmas modificações e melhorias que um usuário do iPhone X.

Já os Androids têm uma vida útil dessas atualizações mais curtas. A cada 18 meses, em média, o sistema passa a não aceitar mais essas modificações e gera incompatibilidade com as versões mais recentes de uma série de aplicativos. Ou seja, você não vai poder atualizar apps como Instagram e Facebook, por exemplo. “A dica é: não compre um Android que tiver sido lançado há mais de um ano. Do contrário, você vai precisar trocar o aparelho em um período de tempo menor”, explica Pellanda.

Além disso, se a ideia é tirar fotos bonitas, você precisa prestar atenção à qualidade da câmera do aparelho. “Acredito que as melhores hoje ainda sejam as do iPhone, a do X é excelente”, comenta Pellanda. Aparelhos como Samsung Galaxy Note 8 e o Galaxy S8 e o G6, da LG, no entanto, também possuem câmeras de alta qualidade. “O mais importante na compra de um celular é testar na loja, simular tudo o que você vai usar, fotografar, baixar aplicativos. Não compre apenas pela aparência”, recomenda.

Leia também

Mais Recentes