4 passos para conhecer uma cidade além dos pontos turísticos

PorPedro Katchborian 22 de setembro de 2017

Faça o seguinte exercício: Abra o Instagram e faça o seguinte teste: busque pela hashtag Nova York. As chances são enormes de achar milhares de fotos da Estátua da Liberdade, Times Square ou do Empire State.

Turistas vão, é lógico, conhecer pontos turísticos. Não tem nada de errado em fazer o mesmo. Mas limitar sua experiência aos principais cartões postais da cidade pode ser uma armadilha que limita as chances de você interagir de verdade com a identidade e os hábitos locais.

Garimpar um pouquinho para fugir do roteiro tradicional em alguns dias da viagem vai lhe dar uma experiência única do que é aquele local, além de fugir de grandes filas e aglomerações. Comida local, restaurantes escondidos, exposições fora do mapa ou bairros comuns que passariam batidos para a maioria das pessoas.

Há várias maneiras de criar itinerários diferentes do que se encontra nos livros de turismo por aí.

E, acredite, até mesmo o Tinder é uma ferramenta a ser explorada em seus passeios mundo afora:

1. Garimpe a internet

 

Parece óbvio, mas há alguns sites que podem ser bem interessantes para quem busca fugir do roteiro de pontos turísticos. O Trip Advisor, se bem garimpado, pode trazer opções interessantes em bairros que não estão nos cartões postais, justamente por ser abastecido por informações de turistas como você e tantos outros.

Além disso, há sites de viagens que costumam fazer roteiros para quem não curte aglomerações: o Nômades Digitais, por exemplo, fez um guia de lugares a menos de 1h30 de Lisboa, capital de Portugal, para fugir do óbvio e curtir a diversidade do país. O Chicken or Pasta é outro site legal para pegar referências. Mergulhe fundo e abasteça seu Google Maps com as dicas espalhadas por aí.

2. Use a função passaporte do Tinder

“Ah, mas eu namoro”, você pode dizer. Lembre-se que as intenções no Tinder são as mais variadas: lance, romance ou até mesmo amizade.

A função passaporte do app permite ver pessoas da cidade que você escolher. Ao dar “match” com algum nativo, você vai poder conversar e descobrir aquela pequena padaria de bairro que é espetacular ou aquele museu ao sul da cidade que quase ninguém vai. Afinal, ninguém melhor para indicar lugares para ir do quem mora no local.

Ah, e se você namorar só não esqueça de avisar o mozão sobre essa sua intenção ao baixar o aplicativo — ou a pessoa pode entender errado, né?

3. Baixe o Eat With

Restaurantes também se enquadram em pontos turísticos. E, por mais legal que seja ir em um bistrô famoso na França, nada com mais identidade do que comer uma refeição caseira na cidade.

A plataforma permite que o viajante coma com estranhos e nativos, que cozinham e cobram um valor, que normalmente é mais barato do que ir no tal restaurante chique. O aplicativo mostra mais de 150 cidades e o funcionamento é bem simples: é só escolher a data e o local da refeição e depois ver os “menus” que se encaixam no dia e local.

4. Teste o Party With a Local

Se comer com um nativo é legal, imagina sair por aí para uma festa. O Party With a Local permite que você festeje com os locais. O aplicativo funciona de maneira bem simples: é só se cadastrar e informar a cidade que mora. Depois, filtre e selecione apenas viajantes ou nativos e monte o seu perfil. É possível selecionar se está solteiro (importante, né), qual é o tipo de festa que curte e outras informações.

Terminou o perfil? Aí você pode ver a lista completa de nativos que poderão te acompanhar na cidade. Ah, e se você não pretende viajar, mas quer mostrar o que a sua cidade tem de melhor, também é possível ver apenas os viajantes.

Leia também

Mais Recentes