‘Stranger Things’ e outras 8 séries nostálgicas imperdíveis

PorRafael Nardini 19 de setembro de 2017

Não dá para negar: se você ainda não assistiu à Stranger Things, série da Netflix, com certeza pelo menos já ouviu falar dela. Trata-se de uma história de terror e ficção científica ambientada nos anos 1980, repleta de referências à cultura pop daquela época a todo minuto. E aí que ao planeta inteiro ficou completamente alucinado por ela.

Games, filmes, bandas, comerciais de TV e roupas oitentistas fazem de Stranger Things um deleite de nostalgia. Mas você já deve saber: esta série não é a única nostálgica por aí.  Fizemos para você uma lista de outros seriados imperdíveis, que trazem impecáveis recriações de época.

Séries nostálgicas que merecem sua atenção

1. Stranger Things (Netflix)

De repente, o menino Will (Noah Schnapp), de 12 anos, desaparece. Sua mãe, Joyce (Winona Ryder) entra em desespero e crê que o desaparecimento do filho não é natural ou um crime comum, mas que há algo sobrenatural naquilo tudo. E há mesmo: Will foi parar no Mundo Invertido, espécie de versão gélida e repleta de monstros da cidadezinha de Hawkins, na qual a série se ambienta. Os amigos leais de Will, Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarazzo) e Lucas (Caleb McLaughlin) saem em busca do menino. O mistério se intensifica com a chegada de uma garota com poderes psíquicos, Eleven (Millie Bobby Brown)…

2. Mad Men (AMC/Netflix)

Ambientada na Nova York dos anos 1960, Mad Men conta a história do publicitário Don Drapper (Jon Hamm). Bem-sucedido, rico e mulherengo, ele trata a própria família como uma peça publicitária que deve ter estética e narrativa perfeitas. Mad Men, queridinha da crítica e vencedora de incontáveis prêmios Emmy, aborda o mundo das agências de publicidade,  o american way of life e como aquela década intensa nos Estados Unidos foi capaz de mudar o comportamento e estilo de vida da sociedade daquele país – e do mundo – para sempre.

3. The Man in the High Castle (Amazon)

Quer mais anos 1960? Aqui vai mais uma boa opção. Baseada no livro de mesmo nome do autor Philip K. Dick, esta ficção científica imagina como os Estados Unidos daquela década seriam se a Alemanha Nazista tivesse vencido a Segunda Guerra. A história de The Man in the High Castle tem como ponto de partida o achado de Juliana Crain (Alexa Davalos): após a irmã dela desaparecer, a protagonista encontra uma película com imagens do que seria o mundo se os nazistas tivessem perdido a Guerra. Juliana se envolve com a resistência contra os nazistas norte-americanos ao conhecer um agente duplo. E, partir daí, o clima de espionagem começa.

4. The Americans (FX/Netflix)

O elogiado drama de espionagem The Americans também se ambienta nos anos 1960, desta vez partindo de um pressuposto bem real: a Guerra Fria. Instalado nos EUA, o casal de espiões russos Elizabeth (Keri Russell) e Philip (Matthew Rhys) tem a delicada missão de bisbilhotar o governo norte-americano. Mas, como você já deve imaginar, às vezes os disfarces são difíceis de serem mantidos.

5. Call the Midwife (BBC/Netflix)

Durante a Segunda Guerra, um grupo de parteiras na Londres dos anos 1950 e 1960 nos servem de ponte para um mundo em constante transformação. Call the Midwife aborda a condição das mulheres operárias, os avanços científicos no dia a dia da população e o que as transformações sociais nascidas no pós-guerra europeu.

6. The Deuce (HBO)

Do mesmo criador da aclamada The Wire, The Deuce aborda o nascimento da indústria pornô dos EUA na tumultuada década de 1970. Ambientada em uma Nova York imunda, corrupta e violenta, a série é protagonizada pelos gêmeos Vincent e Frankie (ambos vividos por James Franco) e pela prostituta Candy (Maggie Gyllenhaal), que se arriscam no mercado pornô que ali começa a se consolidar. The Deuce tem sido elogiada pelas atuações, recriação de época e retrato sócio-político feito dos EUA em uma de suas fases mais obscuras.

7. The Crown (Netflix)

Neste seriado original da Netflix criado pelo roteirista indicado ao Oscar Peter Morgan (Frost/Nixon), as raízes da rainha do Reino Unido, Elizabeth II (Claire Foy), com fidelidade aos fatos e aos conflitos vividos por uma jovem mulher que ocupa um dos cargos políticos mais altos do mundo. A primeira temporada aborda acontecimentos que vão dos anos 1940 aos 1950.

8. Peaky Blinders (BBC/Netflix)

Aqui a abordagem é da rotina de uma família de gângsteres em Birmingham, Inglaterra, em 1919. Chefiada pelo ambicioso Tommy (Cillian Murphy), a gangue faz contrabando de armas e chama a atenção de um policial (Sam Neill) encarregado de “limpar” a sociedade de comunistas e criminosos. Peaky Blinders é inspirada em fatos reais – o grupo realmente existiu e atuou na Inglaterra do século 19 ao 20.

9. Boardwalk Empire: O Império do Contrabando (HBO)

Ainda falando de gângsteres e anos 1920, esta série da HBO é ideal para fãs do cineasta Martin Scorsese, diretor do piloto. Protagonizada por Steve Buscemi, no papel de Nucky, Boardwalk Empire aborda corrupção, contrabando e jogos políticos por trás da chamada “Era da Proibição”, na qual a produção e venda de bebidas alcoólicas foi proibida em todo o território dos EUA.

Leia também

Mais Recentes