Risos e choros: a vida e a carreira de Jim Carrey

PorPedro Katchborian 21 de novembro de 2017

Algumas pessoas são tão boas no que fazem que seus nomes viram sinônimos de sentimentos, palavras ou sensações. É o caso de Jim Carrey — qualquer menção ao ator vem praticamente atrelada ao gênero comédia, sempre arrancando risadas da audiência. Famoso por papéis em filmes como O Mentiroso e Todo Poderoso, Carrey anda sumido das telas e tem experimentado outras atividades do cinema. Desde que perdeu sua esposa, que se suicidou em 2015, o ator sumiu dos holofotes e apareceu mais reflexivo e introspectivo.

Apesar de ser lembrado pelo seu dom com a comédia, são filmes que fogem do gênero que são mais lembrados pela crítica. Os mais lembrados são O Show de Truman e o ícone cult Brilho Eterno de Uma Mentes Sem Lembranças. Talentoso, Carrey já provou muitas vezes que vai muito além de caretas e piadas.

Jim Carrey: o começo

Jim Carrey nasceu em Ontario, no Canadá, e logo percebeu o seu dom para entreter. No começo de sua carreira, chamava a atenção com suas imitações, mas tinha dificuldades financeiras para tentar o estrelato.

Mudou-se para Las Vegas e depois para Hollywood, onde conseguiu um trabalho no programa An Evening at The Improv. No ano seguinte levou o seu ato ao famoso The Tonight Show. Depois de algumas participações na série In Living Color, ele chegou a fama mesmo em 1994, quando foi escolhido para trabalhar em três filmes que estouraram: Ace Ventura, O Máskara e Débi & Loide. Também viveu o Charada em Batman Eternamente.

Jim Carrey: o sucesso

O sucesso continuou, com Carrey sempre sendo selecionado para trabalhos em comédias. Em 1997, fez o bem-sucedido O Mentiroso, que lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro. Carrey já era um rosto conhecido, mas tornou-se aclamado por público e crítica após o filme Show de Truman, em 1998. O trabalho ao viver Truman Burbank, um homem que vive um reality show sem saber, rendeu a Carrey o seu primeiro Globo de Ouro.

Alguns anos depois, o comediante viveu o seu papel mais intenso e aclamado em Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças. Carrey disse que se inspirou em sua própria vida para viver Joel, o homem que escolhe apagar uma mulher de sua mente, mas acaba sempre a encontrando novamente. “Filmes são ótimos, mas o romance real acontece conosco”, disse para o ThoughtCo.

Por que Jim Carrey sumiu?

Diga aí: qual foi a última vez que viu Jim Carrey em um filme novo? Há alguns anos ele não se arrisca em um blockbuster. O mais recente deles foi Debi & Lóide 2, em 2014 e, mesmo antes disso, ele havia diminuído o ritmo de filmes.

O principal motivo para o afastamento do comediante foi a morte de sua ex-namorada, Cathriona White, que se suicidou. Carrey até chegou a ser acusado de ter sido um das razões tragédia.

Além do triste caso, Carrey apostou em outra arte para tentar mudar a sua vida durante essa época com menos filmes: a pintura. No documentário I Needed Color, Carrey explica como pintar em grandes telas tem o ajudado a seguir em frente após a tragédia. Mais do que deixar de lado o cinema, Carrey mudou toda a sua concepção sobre o que é arte: “o que eu acho que torna alguém artista é que eles fazem modelos da sua vida exterior, inspirados em emoções ou necessidades ou mesmo o que eles acreditam que o público deseja ver”, afirma no filme de 6 minutos.

O filme é um retrato de como o comediante utilizou a pintura para curar um coração partido há seis anos e utilizou isso como ferramenta de autoconhecimento. Ele disserta sobre como, na infância, já desenhava e considerava o seu quarto o melhor lugar de todos. “Eu não era a criança que, como castigo, você podia dizer ‘vá para o seu quarto’. O meu quarto era o paraíso para mim”

Em maio de 2017, foi ao programa de Jimmy Kimmel. “Eu não penso mais em Jim Carrey como eu“, diz. “Antes eu sentia que eu estava experimentando o mundo, e agora sinto que o universo e o mundo estão me experimentando”, afirma.

Leia também

Mais Recentes