3 dicas essenciais para ser um ótimo anfitrião e se dar bem no Airbnb

PorRafael Nardini 23 de dezembro de 2017

O Airbnb é um dos melhores exemplos de como tecnologia e diálogo, se alinhados às expectativas de pessoas em busca de trocas, apresentam resultados em que todo mundo sai ganhando. Mas como usar o Airbnb em sua melhor forma?

O serviço – que também é um aplicativo de economia compartilhada – pode te ajudar a faturar um bom dinheiro alugando sua casa ou apartamento, ou só um cômodo delas, para um viajante (ou mais!) em busca de teto.

Para aproveitar o serviço da melhor maneira possível, seguem algumas dicas muito importantes tanto para quem busca hospedagem ou para quem planeja disponibilizar seu imóvel para possíveis hóspedes.

Lembre-se que há mais dicas por aí, então capriche na pesquisa. Apresentamos aqui o básico, para você ir se familiarizando.

1. Anfitrião, capriche nas fotografias. Hóspede, fique atento

O ideal é o imóvel ser oferecido tinindo para o hóspede.

Verifique se o local está 100% equipado e funcional. Capriche na arrumação e no estilo e, aí sim, tire as melhores fotos possíveis para colocar no site. Mostre nessas imagens como você é cuidadoso e pensou em tudo: o seu espaço é aconchegante, bonitão e dá para viver bem nele. Se você for um futuro hóspede, faça um raio-x dessas fotos. Pense em como o hóspede vai usar o seu Airbnb.

Outro segredo é saber humanizar o local. Por exemplo: coloque cobertas sobre a cama, disponha plantas nos cômodos, livros no criado-mudo dos quartos e toalhas no banheiro. Isso diz muito a respeito de como o local é cuidado.

2. Como escolher um Airbnb seguro

Como diz o próprio Airbnb em seu site oficial, ser anfitrião implica em ter responsabilidades e comprometimento.

Uma delas é o diálogo com os hóspedes em potencial. O serviço pede que a comunicação e os pagamentos ocorram apenas pelo site.

Leia os perfis e comentários deles e apure se os contatos foram verificados. Se não os foram, peça. E, se você não se sentir ok com alguma reserva, lembre-se que não precisa aceita-la.

Preencha as regras e guia da sua casa. Se pode fumar dentro dela ou não (e, se pode, onde), senha do wi-fi, se há alguma área cujo acesso é restrito e por aí vai. Preencha também o cartão de segurança online, na guia de segurança doméstica do seu anúncio – é o que vai servir de consulta ao hóspede em caso de alguma emergência. Assim ele saberá o que fazer. Hóspede, verifique isso!

O Airbnb tem o programa Seguro de Proteção ao Anfitrião. A cobertura principal por responsabilidade civil equivale a US$ 1 milhão. É para caso haja alguma reclamação de terceiros sobre danos físicos ou materiais que tenham ocorrido em estadia.

Seu anúncio deve ter requisitos. Sugestão: uma delas pode ser que hóspedes, antes de fazerem a reserva, providenciem as verificações do site. Você pode saber de mais detalhes no site do Airbnb.

3. Ser um bom anfitrião faz toda diferença

Procure recepcionar o hóspede. E muito bem. Ele deve se sentir em casa. Pense nisso: você vai precisar de bons comentários dele depois, não vai?

A dica é do Leonardo Cassol, no site Melhores Destinos. “Os relatos vão ser fundamentais para saber que tipo de recepção você terá”, escreveu.

Então já entendeu, né? Capriche nisso. Use a ferramenta de comunicação no site do Airbnb – esteja à disposição do hóspede, converse com ele! Se der ruim, o serviço pode mediar, por isso é importante usar a comunicação dele próprio.

Leia também

Mais Recentes