Tecnologia no futebol: o que esperar para 2018 no Brasil

PorPedro Katchborian 23 de novembro de 2017

Já parou para pensar que faltam só alguns meses para a Copa do Mundo? Pois é, enquanto o Mundial não chega, polêmicas em relação a arbitragem são motivos de debate todas as semanas nos principais programas esportivos do país.

Pênalti marcado que voltou atrás, bola que não entrou, gol de mão…O futebol brasileiro é um prato cheio para a discussão sobre a validade de implementar tecnologia no futebol. E se o ano de 2017 teve esse debate mais aflorado do que nunca, a expectativa é que 2018 tudo seja colocado em prática. Listamos abaixo as principais novidades para 2018 quando o assunto é tecnologia no futebol.

Árbitro de vídeo

Ah, o árbitro de vídeo…Polêmico, ele já tem sido usado em alguns campeonatos por aí — como no alemão ou no holandês. Foi até testado pela FIFA no Mundial de 2017 — e não deu muito certo, já que um pênalti foi marcado 2 minutos depois que o lance havia ocorrido.

Por aqui, ainda não começamos a usar o árbitro de vídeo, mas a CBF já demonstrou o interesse. Aliás, Marco Polo Del Nero, presidente da Confederação, queria começar a utilizar no próprio campeonato nacional de 2017, mas somente em alguns jogos — medida que foi reprovada pela maioria dos clubes. A novidade deve mesmo ser implementada em 2018.

Segundo a FIFA, o Brasil foi um dos seis países autorizados a fazer experiências com a tecnologia. Vale lembrar que o árbitro de vídeo permite que um árbitro fique em uma central de replays para analisar os lances. Ele só poderia interferir em quatro tipos de lances: determinar se um gol foi marcado, marcações de pênalti, expulsões e identificar um jogador, caso haja a suspeita equivocada de um atleta. Em lances de impedimento, o recursos só seria utilizado em situações claras de gol.

Tecnologia da linha do gol

Já foi usada na Copa em 2014 e funciona nos principais campeonatos europeus. Por aqui, nada ainda. A FIFA até chegou a dizer que pagaria pela tecnologia por um ano após a Copa do Mundo, mas a CBF optou por não utilizar. Ainda não há informações de a CBF pretende utilizá-la no Campeonato Brasileiro de 2018, mas ela com certeza estará na Copa do Mundo. A tecnologia consiste em um sistema de câmera para determinar se a bola ultrapassou a linha. Quando o gol é marcado, o árbitro é avisado em seu relógio.

Leia também

Mais Recentes