De rejeitado a maior da história: Os caminhos que levaram Tom Brady ao sucesso

PorRafael Nardini 31 de Janeiro de 2018

Thomas Edward Patrick Brady Jr. nasceu em San Mateo na Califórnia e era fã assumido do San Francisco 49ers, equipe liderada pelo quarterback Joe Montana nas décadas de 1980 e 1990. Os 49ers foram, durante a infância de Brady, a maior equipe do planeta. E Montana, antes do próprio Brady, era considerado o maior quarteback da história, vencedor de impressionantes quatro Super Bowls, a grande final do esporte americano.

Em 10 de janeiro de 1982, o próprio Brady, então um jovem garoto californiano, viu das arquibancadas do Candlestick Park em San Francisco o que é considerada uma das maiores partidas da história. O time da casa precisava de um touchdown para vencer a partida e chegar ao Super Bowl pela primeira vez. Com 58 no relógio, Montana lança Dwight Clark na endzone. Touchdown! A jogada em uma das jogadas mais icônicas do NFL, o “The Catch”.

Apenas a sétima opção na universidade

Da inspiração de um estádio lotado para a dura realidade. O jovem Tom Brady nunca foi capaz de impressionar dentro do gramado. Em sua época de universidade, Brady chegou a ser apenas a sétima opção de QB para o Michigan Wolverines, tradicionais time universitário. Abatido, Brady precisou de auxílio psicológico para lidar com a frustração de estar tão longe do time titular

Ao tentar entrar na NFL, a chegada de Brady também não foi nada convincente. Nos treinos para o Draft do ano 2000, Brady registrou a baixíssima média 5,28 segundos na corrida de 40 jardas, tornando-se um dos mais lentos de todos os quarterbacks daquele ano. A escolha, que parecia que jamais viria, surgiu na discreta 199ª posição.

A chance surge de uma tragédia

A oportunidade de entrar em campo só viria em seu segundo ano como profissional, após o titular Drew Bledsoe precisar ser substituído após sofrer uma hemorragia interna em um tackle. De lá para cá, o mito só cresce. Brady é o quarterback dono do maior número de anéis de Super Bowl (cinco) e também dono de impressionantes marcas. Lembra de Joe Montana (49ers)? Pois bem, o ídolo de Brady ficou para trás com também impressionantes quatro campeonatos.

Tom Brady em números

Dos cinco títulos, Brady acabou consagrado como o Most Valuable Player em quatro ocasiões. Montana, de novo, ficou em segundo, com três indicações a melhor atleta da grande final.

O camisa 12 do New England Patriots é ainda o primeiro quarterback da história a conseguir virar a partida final no quarto final de jogo por três vezes e garantir o troféu do Super Bowl. Isso tudo com atuações de fazer qualquer um corar. Foram 43 passes para touchdows durante Super Bowls e 15 TDs, outras marcas que pertencem a Brady.

Quer mais? Durante duas temporadas, Brady tentou 358 passes sem jamais sofrer uma única interceptação, outro recorde digno de nota.

Quando já não faltavam números para confirmar a carreira de maior quarteback da história, veio a mágica noite de 5 de fevereiro de 2017. Após estarem perdendo por 25 pontos, Brady comandou os Patriots para a virada. A marca anterior era de 10 pontos.

O melhor da história? O camisa 12 nega

Com tudo isso, não tente dizer a Brady que ele é o maior atleta da história da NFL. “Não concordo com isso, e vou dizer o motivo. Me conheço como jogador e realmente sou um produto do que esteve a minha volta, por quem fui treinado, contra quem joguei. Acredito realmente que várias pessoas, se estivessem no meu lugar, conseguiriam atingir o mesmo tipo de coisa. Tenho muita sorte”. Ok, então.

Leia também

Mais Recentes