Surfe, escalada, skate… quais são os novos esportes das Olimpíadas 2020

PorPedro Katchborian 2 de outubro de 2017

As Olimpíadas do Rio se encerraram há um ano, mas muito já se fala sobre os próximos Jogos, que ocorrerão em Tóquio, em 2020. Entre os principais destaques do evento está a inclusão de cinco novas modalidades na competição. São elas: surfe, skate, beisebol, escalada e caratê.

Vale dizer que a inclusão das modalidades só valerá, inicialmente, para os jogos de Tóquio. Thomas Bach, presidente do COI, falou sobre a decisão. “Essa proposta serve para aumentar a flexibilidade para novos programas olímpicos. Ela não é vinculada para Jogos Olímpicos no futuro”, afirmou.

A alguns anos do evento, entenda o porquê dos esportes estarem no programa olímpico de 2020 e veja quais as chances do Brasil conquistar medalhas nas novas modalidades:

Como as modalidades entraram no programa olímpico?

Não é fácil se tornar um esporte olímpico. Antes de serem formalmente aceitos, em agosto de 2016, os esportes passaram por duas triagens. A primeira foi realizada em 2015, quando oito dos 26 esportes inscritos foram aceitos pelo Comitê Organizador de Tóquio. Outros esportes inscritos, como squash, sumô e boliche, não foram aceitos para os jogos de Tóquio.

Quais foram os critérios escolhidos para a seleção dos esportes?

Os dois principais critérios para escolher as modalidades foram a popularidade e atenção dos jovens. Enquanto beisebol e caratê são preferência no Japão, surfe, escalada e skate podem se conectar com o público jovem. “O beisebol é o esporte nacional do Japão. O caratê nasceu no país. Já os outros vão inspirar jovens a gostarem do esporte olímpico”, afirmou Yoshiro Mori, membro do comitê executivo dos Jogos de Tóquio.

O Brasil tem chance de medalha nos novos esportes?

O Brasil terminou as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, com 19 medalhas, sendo 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze. A expectativa é, pelo menos, repetir o desempenho da cidade maravilhosa. E os novos esportes devem contribuir para isso.

Segundo Guilherme Costa, do Globo Esporte, os novos esportes devem ajudar — e muito — o Brasil em 2020. O surfe talvez seja o principal candidato a medalha: com Gabriel Medina ganhando o título mundial em 2014 e Adriano de Souza vencendo em 2015, é bem provável que os brasileiros disputem mais de um lugar no pódio em 2020.

O caratê também promete: o Brasil costuma subir no pódio em algumas etapas dos Mundiais. Ainda segundo Guilherme, os principais atletas do Brasil já são experientes, mas ainda vão chegar em forma na briga pelo pódio.

Tradicional por aqui, o skate também promete. Os Jogos Olímpicos vão trazer duas categorias, park e street, no feminino e masculino. Pedro Barros foi vice-campeão mundial no park e Letícia Bufoni já foi campeão mundial no street. Também há outros nomes que devem brigar por medalhas. Ou seja, é provável que pintem uma ou duas medalhas desses esportes.

Leia também

Mais Recentes