O que é meditação e por que ela pode te ajudar?

PorPedro Katchborian 25 de setembro de 2017

Você já deve ter ouvido falar em meditação. E é bastante comum nossa mente sempre nos trazer como resposta a mesma imagem: uma pessoa sentada em uma posição com a coluna ereta e olhos fechados. Outros definem a meditação como a tentativa de livrar a mente dos pensamentos. A meditação não é apenas isso. Ela vai muito além de “não pensar em nada”.

O propósito da prática varia muito de acordo com cada pessoa: não é, necessariamente, uma maneira de desestressar ou relaxar. Veja abaixo mais informações:

O que é meditação?

A meditação é um conjunto de técnicas que busca focalizar a atenção. Normalmente, ela envolve técnicas de concentração e respiração que visam atingir um estado de consciência diferente do convencional.

Meditação é religião?

Não, não é. Meditação não é algo religioso necessariamente. Apesar da origem da meditação ser oriental e ela ter relação com o budismo e hinduísmo, uma pessoa de outra religião ou até mesmo agnóstica pode meditar sem qualquer tipo de problema.

Para que serve a meditação?

Como dito anteriormente, os propósitos são variados. Por exemplo, em algumas religiões a meditação pode servir como uma conversa com o divino, mas ela também pode ser aplicada para focar a mente em um tema, objeto, mantra. Outra aplicação da meditação é o desenvolvimento de alguma qualidade mental — concentração ou atenção, por exemplo. Resumidamente, ela pode te ajudar no âmbito pessoal ou profissional, seja lá qual for o seu objetivo.

A meditação se pratica sentado?

Não. Depende do objetivo e da linha de meditação, mas é possível meditar deitado e até andando. Sim, andando. Algumas técnicas como mindfulness — também conhecido como estado de atenção pleno — podem ser praticadas durante tarefas.

Quais são os benefícios da meditação?

A meditação faz bem para a saúde. Quem diz é a ciência: centenas estudos comprovaram os benefícios dessas técnicas. Um deles foi publicado no Frontiers in Human Neuroscience e diz respeito a aceleração da capacidade de processamento do cérebro. Já a revista Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes apontou que a meditação reduziu em 48% o risco geral de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e morte. Melhorar a memória, diminuir o estresse, aumentar a sensação de felicidade e outros benefícios também já foram provados. Aqui você encontra 50 boas razões para meditar.

Quais são os tipos de meditação?

Há várias. Algumas delas são a zazen, que tem origem no budismo chinês e é aquela tradicional sentada com pernas cruzadas e coluna ereta. Neste método, a pessoa senta-se na posição correta e foca completamente na respiração e conta de dez a um, do maior para o menor. Cada vez que espira, o indivíduo diminui um número — ao chegar em um, começa novamente.

Outra linha é a vipassana, também tradicional no budismo. Há quem considere esse estilo igual ao mindfulness — esse tipo começa com o processo de focar a atenção na respiração até estar consciente dela.

A meditação hindu, por exemplo, utiliza-se de mantras para facilitar a concentração — neste método, a pessoa precisa se sentar com coluna ereta e olhos fechados. Quer conhecer mais? No site Free The Essence você encontra mais informações sobre diferentes linhas de meditação.

Leia também

Mais Recentes